Agenda em Brasília (quarta-feira, 13/02/2019)

Compartilhe:

Na reunião da bancada de Rondônia, dez parlamentares presentes. Faltou apenas o deputado Expedito Neto. Todos falaram. Abordaram alguns assuntos. Temas indispensáveis para a bancada defender, como a questão da transposição, a questão da energia elétrica, a situação da BR-364, a regularização fundiária e o Hospital do Câncer. Também expuseram a necessidade de um revezamento anual na coordenação da bancada. No final, o Lúcio Mosquini foi aclamado como coordenador para o início desta legislatura.

A convite do prefeito Hildon Chaves, de Porto Velho, tivemos um almoço com a bancada federal. Após o almoço ele nos apresentou uma série de pleitos para que todos os parlamentares  ajudem  Porto Velho. Como tenho uma gratidão imensa pela capital, nem precisava me pedir, pois  eu vou fazer isso como uma decisão do meu coração. Porto Velho sempre me acolheu muito bem, em todas as minhas eleições. Eu tenho  compromisso  com a população da cidade. O que eu puder fazer para ajudar a nossa capital eu vou fazer. Pode ser o prefeito Hildon, pode ser outro, o  meu compromisso será o mesmo. Vamos sempre trabalhar para a querida Porto Velho, uma cidade que aprendi a amar muito.

O Henrique Prata chegou de surpresa quando estava transcorrendo a reunião da bancada federal. Quando eu falo bancada federal, eu digo: os três senadores e os oito deputados federais. Estavam todos reunidos no gabinete do senador Acir Gurgacz discutindo a escolha do coordenador. Henrique  falou com todo mundo sobre as necessidades que ele tem para tocar o Hospital de Amor da Amazônia (Hospital do Câncer de Porto Velho). Achei  que deva ser um consenso geral  destinar recursos para este hospital impressionante. Toda essa evolução do tratamento do câncer em Rondônia ocorreu nos meus mandatos de governador. O Henrique foi um benfeitor maravilhoso para o nosso Estado. Só fez o bem. Ele quer que a bancada trabalhe para uma adequação da tabela SUS, no  tratamento do câncer. Há 15 anos essa tabela não é alterada, e por isso esta medonha crise nos hospitais públicos e na rede privada credenciada. Porque o reajuste da tabela  não é em consonância com a inflação. Ele pediu  o nosso apoio  ao custeio do Hospital do Câncer de Porto Velho, um hospital magistral. Não posso falar que o hospital  é só de Rondônia. O Estado do Amazonas,  do Acre, de Mato Grosso e até do Amapá têm mandado pacientes para se tratar em Porto Velho. É uma obra impressionante e eu não vejo ninguém de bom coração que  possa dizer o contrário.

Recebi quatro vereadores  de Corumbiara, município de população pequena, mas extremamente rico e produtivo. Muito boi, muita soja, muito milho. Os vereadores Valdinei, José Carlos leiteiro, Branca e a Terezinha vieram trazer um pedido muito interessante. Eles querem que o Banco do Brasil reabra a agência de lá, que foi fechada e transformada num postinho. E eles se sentiram  humilhados, porque o município movimenta muito dinheiro. E agora a população está chateada, tem que se deslocar para o município de Cerejeiras para fazer os movimentos bancários, receber  aposentadoria e tudo mais. Achei  justa a demanda. Vou procurar o presidente do Banco do Brasil e reivindicar a reabertura das agências de Corumbiara e Cabixi, dois municípios especiais. Eu sei que o Banco está fazendo uma adequação, ajuste e redução de gastos. Mas acredito que aceitarão rever esta decisão.

O prefeito Claudião,  de Theobroma,  presidente da Associação Rondoniense dos Municípios (Arom), esteve aqui junto com o vice-prefeito, Abel. Vieram para a Marcha de Prefeitos. Ao todo deve  ter vindo entre três a quatro mil prefeitos do Brasil inteiro. Estive lá hoje cedo. Cerca de 250 deputados federais e mais da metade dos senadores estiveram presentes no evento.  Claudião me disse que irá apresentar um pedido para que as emendas vinculantes à saúde, que hoje correspondem a um total de 50%,  caia para a metade, e que os  25% restantes, vá para a educação. Ele vai me encaminhar esta proposta como presidente da Arom. Farei um discurso no plenário e  apresentarei a mesma ao ministro da Economia.

Doutor Marcus Edson de Lima é Defensor Público Geral do Estado, pessoa que foi indicada por mim, para esse cargo. Foi eleito e reeleito pelos colegas, e  aceito pelo Governo do Estado. Ele fez uma revolução na Defensoria, para melhor. Ampliou o quadro de defensores do Estado. Hoje temos quase 70 defensores, novos, concursados. Criou os cargos administrativos que não existiam na Defensoria e estabilizou o orçamento do Estado. Presta um serviço extraordinário na Defensoria Pública de Rondônia. Hoje veio me fazer uma visita de cortesia, o que me deixou muito satisfeito.  Ele veio acompanhado de  um defensor público do Paraná, colega dele. Fiquei muito honrado com as ilustres visitas.

Recebi também a visita da prefeita de Cerejeiras, Lizete Marth, que acaba de assumir após a renúncia do Airton Gomes. Ela é uma simpatia em pessoa, tem um propósito democrático de atender o município, principalmente na área de infraestrutura ( drenagem das águas da chuva e  a pavimentação asfáltica da cidade). Ela estima que há mais de 20 km de asfalto para ser feito. Sugeri a ela, utilizar-se de parcerias dos quatros deputados do Cone Sul. Pode contar também comigo, que prezo muito a região, para  realizar tudo que pretende fazer. Ela estava acompanhada do presidente da Câmara Municipal, o vereador Gabriel Cândido. Cerejeiras é uma cidade  maravilhosa, além de ser muito rica na área da produção de grãos.

Hoje foi a abertura dos trabalhos  da Comissão de Educação e Cultura do Senado Federal. É a minha comissão preferida, onde vou dedicar a maior parte do meu tempo. Por ser o mais velho dos senadores presentes, tive a honra de fazer a abertura e de empossar o presidente, Dario Berguer ( SC) e o vice, Flávio Arns (PR).  Cheguei a conclusão de que, ser  velho em determinados momentos  tem suas vantagens, não entra em fila e ainda preside sessão.

O prefeito Adinael de Azevedo, do município  de Nova União, esteve aqui, juntamente  com o presidente da Câmara, e com o secretário municipal de Fazenda.  Veio para a  Marcha dos Prefeitos. Trouxe também os pleitos do seu município, que também precisa de asfalto. Ficaram sem um deputado que os represente. Precisamos que os deputados dos municípios vizinhos, conheçam Nova União para  fazer as bases políticas locais com o apoio do prefeito e dos vereadores. Liguei para o deputado Cabo Jhony Paixão,  de Ji-Paraná, para que ele faça uma visita a Nova União e ajude nessa demanda. Ligarei para a Cássia dos Muletas, de Jaru, para que ela faça o mesmo.

Compartilhe: