Numa boa prosa com Tarciso Delgado, que naquela época, era Prefeito de Juiz de Fora, Minas Gerais, e do alto da sua sagrada experiência, fui até ele, pegar alguns conselhos, para me tirar o meu medo de assumir a Prefeitura de Ariquemes em 2004. Ele me mostrou o seu PLANO ESTRATÉGICO, página a página, feito por entidades daquela cidade, sem nenhum custo para a Prefeitura. Ele me disse que o Plano Estratégico era a sua Bíblia. Todo dia abria e lia o que tinha que fazer. E saiu comigo. Mostrou a cidade, os seus programas e os seus mistérios de cidade e de gestão. Perguntei como é que fazia tanta coisa, e de onde vinha o dinheiro? Ele me respondeu: – “a austeridade gera filho”. Francamente, não entendi. Austeridade gerar filho. Como? Ele me traduziu: – economizar nas pequenas coisas e com isto, você faz muito mais do que prometeu ao povo. Ou seja, o valor das pequenas ações.

De Juiz de Fora fui sozinho, catando exemplos bem sucedidos em Minas Gerais, São Paulo e depois pesquisei Sebrae e Caixa Econômica Federal (que tem programas interessantes de Boas Práticas para prefeituras), outra cidade de Minas, me chamou atenção, Nova Serrana. Fui lá. Fiquei três dias sem ninguém me conhecer, por fim, procurei a Prefeitura, ainda era Deputado Federal. Andei sozinho pelas empresas de calçados. No shopping à beira da rodovia das empresas calçadistas. Cidade sem desemprego, naquela época, vinham ônibus cedo, cheio de gente de outras cidades, com trabalhadores. Há uma verdadeira rede de trabalho compartilhado com as famílias, cada casa, dentro ou no quintal, tem gente trabalhando, costurando, colando tênis e sapatos. É uma cidade construída de história de tropeiros e arranque inovador, sem limites para produzir e vender.

Daí voltei para a minha realidade e assumi a Prefeitura de Ariquemes, com a inspiração destas cidades criativas.

COMPARTILHAR