Botero (domingada)

Compartilhe:
  1. BOTERO – Sem mais nem menos, agora cedo, fiquei pensando qual o título para este meu artigo de domingo. Olhei pra frente e vi três obras na estante, de Fernando Botero, artista colombiano inconfundível. Ele valoriza o gordo, rotundos, arredondados, nas mais variadas posições. Ele é incrivelmente prestigiado em seu país e reconhecido no mundo inteiro.
  2. MADURO – ontem, foi o dia da Venezuela. Só deu ela nos noticiários. O choque interno das pessoas. Uma parte a favor do ditador Maduro. Outra parte contrária, apoiando Guaidó. Corro a vista no mundo. E até agora, não vi nenhuma virtude no comunismo. A não ser a igualdade por baixo. A igualdade na miséria. A igualdade é um dos princípios fundamentais da democracia, assim, como a liberdade. Mas, será que no comunismo, não poderia se inverter a igualdade noutro sentido?
  3. RONDÔNIA – Todo mundo pede indústria. Dar incentivos especiais para atração de novas indústrias. Temos no Estado grandes laticínios, que abastecem o mercado interno e externo, com queijo, leite e outros derivados. Eles estão subutilizados, têm grande capacidade, mas está ociosa. O que está faltando é leite. Aí sim, devem entrar o Estado, as cooperativas, os próprios laticínios, as lojas agropecuárias e os parques de exposição, para uma grande marcha em prol do aumento da produtividade de leite no Estado.
  4. ARTISTAS – Admirável mundo – campeia em todo lugar talentos nas artes. Gente que nasce com o ofício escrito em suas células. Os músicos, os poetas, escritores, cantores, artistas de circo, atores, pintores, artesãos. São pessoas criativas, que geralmente vivem da arte  movimentando a economia. A arte é o registro da existência do homem na terra.
  5. INTERNET – Levar internet para todos, pela fibra ótica, pelos satélites ou por meio de ondas de rádio. Aí pode deixar por conta do povo e das comunidades distantes. Eles gradualmente vão procurando as suas mais variadas utilidades. Um celular com  internet disponível, nas mãos de uma criança ou de um jovem, é o próprio mundo encantado.
  6. EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA – são os meus focos como Senador. Não pense que isto seja fácil. De jeito nenhum. Porque para mudar a onda para o lado da educação, precisaremos  mudar as mentalidades, os propósitos, as vontades. Porque tudo entrou numa calmaria. Numa indiferença. Num descompromisso perene que se incrustou em nossas almas. Como se todos dissessem ao mesmo tempo: – É assim mesmo! Não somos a palmatória do mundo! Esta desgraceira endêmica está levando o Brasil para o buraco.
  7. GENTE BOA – Um grande abraço à Joselita Araújo (Ouro Preto), Nói e Isabel (Theobroma), Nelcino (Linha 319 Ariquemes), Abrãozinho (Machadinho), Izaltina (Cujubim – comunidade Castanheira), Jacaré (Nova Mamoré), Val (Campo Novo) e Altamira (Monte Negro). Antônio Baiano e Dona Madalena que ficam confinados no sítio (Linha C-50 – Ariquemes).
  8. CANDURI – Mestre Canduri é uma lenda política do Estado de Rondônia. Ele mora em Guajará-Mirim, figura notável e fundadora do nosso partido – o MDB – carrega dentro dele a verdade. Fala o que pensa e pronto. Doa a quem doer. Mas, por trás daquele vozeirão tem uma alma generosa.
  9. LEITURA – O livro não acabou e nem acabará nunca. Uma regra básica – ler pelo menos seis (6) livros por ano. O homem que lê vale mais. Só se faz uma boa escrita (redação) se for um bom leitor.
  10. PLANTANDO ÁGUA – Bacia hidrográfica é um conjunto de nascentes, veios d’água, riachos (igarapés), ribeirões e rios. Tudo vai para o mar. Os nossos rios estão morrendo e há ainda tantos outros  na UTI ou que já  morreram. O Rio São Francisco é um dos que está agonizando.  Plantar água é a palavra certa. Recuperar nascentes, proteger igarapés pequenos, médios e grandes. Garantir água para  todos. Isto aqui não é poesia. É verdade. O homem tem que acreditar que não é o senhor de tudo.

 

Compartilhe: