1. De tudo um pouco. Recadinhos. Poesias. Se soubesse cantar, cantaria. Ginástica e a boa forma. Passei cedinho, antes das 6 h e os feirantes chegavam. Puxando sua produção para as bancas dentro do pátio da Emater. Frente ao Palácio Rio Madeira,Porto Velho.  Dei uma volta, de camiseta e calção e fui embora. Depois voltei para fazer algumas compras. E ao final muitos abraços.

2. Quero incentivar a AGRICULTURA FAMILIAR no Estado. Pra valer. Organizado. Tanto café, cacau, leite e frutas. Nada a torto e a direito. Todo mundo cadastrada. Comprometido e treinado. Receberão do Governo o incentivo a irrigação noturna. Enviarei projeto de lei à Assembléia e se aprovado, o Governo pagará a conta de luz da irrigação. As sementes de boa qualidade. A assistência técnica. Incentivo especial para o frete do calcário. Pastagem rotacionada e adubada. Tudo nos trinques. Mas, com compromisso firmado, de verdade. Quero Rondônia produtiva e rica. O calcário deve chegar rápido ao sítio. O adubo também.

3. Eu, um ser mortal (Isabel da 7 – Cacoal)
como será a lembrança da minha pisada na Terra
se sou apenas mais um animal
que não pode fugir da decomposição da matéria?
a mãe terra já sente o meu cheiro
logo me chamará de volta
então o corpo que habitei voltará ao pó
e isto é tudo que sei de mim.

4. Ações de incursões no Parque de Guajará-Mirim durante a operação Ágata. Exército, Força Nacional, Batalhão Ambiental. Vocês estão vendo aí? Avisem a todos aqueles que ainda não acreditam que o desmatamento e a grilagem tem os dias contados. Nada impede que se chegue ao fundo dos parques, pontes improvisados para fiscalizar. Pontes detonadas para evitar o crime.  Aviões por cima e as forças por terra. É uma batalha.

5.Programa de Carteira de IDENTIDADE MAIS RÁPIDA. Uma reunião no Palácio para resolver a situação. O pessoal está instruído. Já correram o país e sabe como deve ser feito. Fiz as contas. Se tudo correr bem, daqui a 9 meses o sistema estará funcionando. Botei fé. E ninguém precisará levantar madrugada para pegar senha.

6. Para o Programa do Leite, Café, Cacau  temos dinheiro na conta. Sem desculpas. O que falta é a prática da organização. Tudo isto está escrito nos livros de Clodomir Santos de Moraes. É só ler e fazer. Organize e coloque o programa em ação. Dei trinta dias para que me apresentem projetos claros.

7. Agora é pra valer. Ensino Médio com formação técnica e profissional. O menino precisa terminar o ensino médio e começar a trabalhar. Pra ganhar dinheiro. E um técnico bem formado tem emprego garantido. Em Ariquemes, o NAVE – Heitor Villa Lobos, tecnologia e arte. Vejam aí o show dos meninos e meninas. Assinei compromisso de formar 7 200 jovens por ano e ter 27 escolas de ensino médio profissional. É o Consórcio Brasil Central em ação.

8. Feirinha da EMATER  foi um reencontro com velhos amigos. Edna que no passado foi enfermeira em Ariquemes. Agora, feirante aposentada. E muita gente dos assentamentos, principalmente, do Santa Rita. Esta mulher tem grande valor, Dra Alice e ela em 77 sozinhas cuidaram da epidemia de malária em Ariquemes.

9. MIGUEL ARCANJO – homem de aço. Mais de 90 anos de idade. E todo santo dia está correndo e malhando ou no Parque Circuito em Porto Velho ou no Espaço Alternativo. É um grande exemplo. O exercício físico é mais importante do que remédio.

10. A mínima ideia da tua presença expõe minha alma às curvas, como a desfrutar silenciosa o frescor de pérolas no pescoço. Ouço um por um os pingos além dos pássaros no rastro recente da chuva. Tímidas ainda ontem, as rosas ostentam contornos carnais e tudo pulsa – volúpia – na lisa luz da folhagem. A mínima ideia da tua presença afia a lâmina dos meus sentidos, o faro para analogias. Vibram risos no meu sonho, recrio teus olhos no escuro, vejo cristais na neblina quando secretamente tua alma me visita. Os cheiros que a chuva desprende, tua voz na minha nuca alinham-me à beira da glória. Esculpirei o verbo para o que procuras? Como uma vírgula tua presença me devolve o verso, eco de pétala no precipício. (Ana Rosa Ernesto)

11. Da ponte tinha como certo ser o meio do caminho, de visto de fundos o carapina alisando a tábua, virando de lado,  as batidas do martelo na forma do sapato. Por baixo o riacho embutido de mato e ossadas, o fundo de um quintal com um bananal com cobertura de abacateiros e a grota por onde tudo escorria. Vinda a  noite esconderijo de amantes, jumentos urrando espantando o silêncio e nos casarões todo mundo construindo família, logo depois da missa. O povo tinha prazer da vida alheia e cada segredo morria ali na ponte. (Confúcio).

12. O Barco Hospital está pronto. Para subir e descer o Guaporé. Atender gente do lado brasileiro e do lado boliviano. Quero colocá-lo no serviço em agosto. O nome do barco é mais do que justo, e todo mundo ficou feliz: – Walter Bártolo. Quem se atreve por outro nome? Ele que foi em vida, o grande protetor dos ribeirinhos do Guaporé.

COMPARTILHAR