Nenhuma secretaria, autarquia pode funcionar somente com cargos comissionados. Porque ao deixar o governo, o futuro governador, não encontrará nada, nem lembranças, nem memórias, nem ações, nem programas. Os computadores estarão vazios. Assim, como recebi. Devo deixar como legado, um quadro mínimo de servidores efetivos.

A segurança pública deve se mover por outras vias. Porque todo mundo sabe que os Estados não têm margem para aumentarem efetivos com padrão ideal. Ideias, insights, estudos, discussões em grupos, para buscarem na comunicação, parcerias, tecnologia e inteligência integradas às alternativas para o enfrentamento da violência.

Aqui, a energia da polícia é gasta correndo atrás do bandido. Pouco se faz para proteger o homem de bem. Este tem que dar o seu jeito. E  o único meio que encontra, é subir o muro, pôr cerca elétrica, câmera de vigilância e ficar esperto. Há necessidade de se colocar, minimamente, o 190 para funcionar bem.

Vamos ter que dar um jeito. É na escola. Ensinar o aluno o que é importante. Ficar ensinando qual é o monte mais alto do mundo, não vejo que seja necessário. Aprende sozinho na Internet. Mas, não deixar o menino brigar, xingar, bater, esculachar, riscar a moto do professor. Ou até mesmo bater em professor, isto sim, teremos que ensinar.

Os prefeitos de hoje, muitos, prometeram fazer cirurgia ortopédica, plástica, cardiologia, ginecológica em município pequeno. Até mesmo ultrassom, tomografia e coisa e tal. Meu amigo, caia na real, você não tem a mínima condição. Coloque o seu chapéu, onde sua mão alcança. Faça bem feito a atenção básica. Cuide da criança, gestante, idoso, grávida, vacina, dengue e zika. Já está bom demais.

A Ouvidoria do Estado deve mudar. Ela deve ficar na sala de espera dos hospitais e pronto socorros, policlínica e no 190 da Polícia. Para observar os atendimentos e procurar melhorar e informar as pessoas. Nada de ficar no mundo da lua.

A lei do VOLUNTÁRIO SOLIDÁRIO  pode ser usada no governo. O cidadão, por qualquer motivo, queira contribuir com o serviço público, receberá por 4 horas de trabalho, 27 reais por dia, para cobrir suas despesas. Ajudar em escolas, serviço de atendimento ao público, lar do idoso, salas de espera de hospitais. Em Brasília teve grande adesão. Tem muita gente querendo sair de casa e ser útil. Pode até ajudar no 190 da Polícia, para atender a quem precisa.

O patrimônio do Estado, de jeito nenhum, não pode ser casa-da-mãe-joana. O nosso está superdimensionado. É preciso dar baixa em tudo aquilo que não tem serventia. Leiloar o que pode ser leiloado. Documentar terrenos e bens públicos. Arrumar o balanço do Estado. Importantíssimo. E organizar num sistema, o que de fato dispomos de valor.

De agora em diante, cada autarquia, fundação, secretaria – enfim, todos, devem começar a olhar os convênios, as datas de vencimento, as prestações de contas, os repasses para municípios, as diárias, suprimentos de fundo, tudo, tudo, tudo – para que possamos ano que vem, passar o governo bem arrumado.

COMPARTILHAR

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor escreva seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui