Minha aldeia

(autoria do poeta português Antônio Gedeão) – lindíssimo.   minha aldeia é todo mundo. todo mundo me pertence. aqui me[…]

Não quero ser previsível

(autoria da poetisa rondoniense Regina Rafihi) Não quero ser previsível Nem me agrada a obviedade A cada amanhecer Tento me[…]

Ri de mim

autor: Arhtur Moura Campos   (este poema mexe comigo. ele fala do  rio meia ponte. corta goiânia ao meio. Mais[…]

Tropeços

No meu caminho tinha uma pedra mandei lapidar e fiz um colar. No meu caminho tinha um toco com ele[…]

Primeiros dias

Por aqui, ainda tudo calmo. Depois da agitação. É sempre assim mesmo. O Senado, virado para o Lago Paranoá, por[…]

Vivo nas nuvens

Durmo nas nuvens para me aproximar dos sonhos Danço nas nuvens para sentir a música Mantendo a cabeça nas nuvens[…]

rua real

não repare o meu texto. ele hoje está desobediente. de propósito. sem regras de maiúscula e minúscula. eu já tenho[…]

sol

o sol enquanto ele a pino a pela em nuvem clara borda margem do céu trava o portão à frente[…]