ilusão

estou aqui. de não sendo passo a ser dei vida a pedra não o movimento se tu és rio conforma-te[…]

Meu caro leitor

meu caro nada  impossível minha escrita em prosa rara Eu digo que existo ela não: a vida um brilho de[…]

O homem do buraco

Tomei um susto. Ali por perto do novo necrotério. Fiquei olhando para a obra, que é linda, contrasta cores, o[…]

A turma das madrugadas

Eu saí, hoje, sábado (dia 15 de dezembro de 2018), bem cedinho, chovia fino, céu mormaçado, nuvens baixas, dizendo –[…]

Vida verde (poesia)

Vida! Vi. Vidas Tá frio aqui Choveu a noite inteira Pernas e braços me aquecendo Eu gosto Pedra polida Acho[…]

As levezas e durezas dos seres

Vamos comer “sonhos” da Dirlei. Recheios – doce de leite, goiabada, creme, brigadeiro.  Daqui de Ariquemes, sinto gosto e cheiro[…]

Eu descanso (poema)

Eu descanso: quando me deixo levar pelo olhar no horizonte nebuloso Eu descanso: olhando de cima os cortes na serra[…]

Dezembro

Hoje, quando pisarmos no batente da porta, para sair, lá fora já é outro mês. Dezembro chegou. Pertinho de fechar[…]