Poema (Coisas duvidosas)

2 de setembro de 2006 Poesia não flui com água. A palavra é um tijolo. Vou colocando uma sobre a outra para construir desencontros. Sou um...

Poema (Estações)

18 de janeiro de 2004 As estações são brincadeiras do tempo. Que fazem os homens se ajustarem aos seus caprichos E sentarem no palco da vida para...

Poema (Borboletas)

Janeiro de 2004 Confúcio Moura Borboletas bordam o céu com a mesma paciência que minha mãe bordava um vestido de noiva. Elas escrevem versos com ritmos e...

SONHO E VIAGEM

Bença, madrinha Lindaura. Era assim os meus costumes. Madrinha Lindaura já morreu. Padrinho Henrique também. Para batizar um filho, os pais escolhiam amigos na cidade....

PEDRÃO – O homem do basquete

Pedrão gosta do basquete. Parece que nasceu com este dom. Aprendeu com a vida e o seu tino próprio de liderar. Tem mais uma -...

O MÉDICO DO IMPOSSÍVEL

Ariquemes era uma vila pequena. Cerca de 1500 habitantes, casebres de madeira, lado a lado da estrada de chão, que se chamava BR 364,...