A viagem (poema)

30 de março de 2018

 

Eu esqueci de mim, como se esquece um pacote em casa

senti, que não fiz falta, depois eu pego o pacote

O voo sobre Corumbiara

muito e tudo tem por ali, lavratura da terra

eu quis a quietude

me ver nos bolos de nuvens

como um anjo

ser nuvem

ser bem logo um gás úmido

o passarinho estava sossegado

tinha querosene

estou no passado, atravessando a ponte

será que ali é o futuro?

vou chegar lá, para descobrir o futuro

a terra pica, retângulos, trapézios e círculos

o boi girando

não vi aqui em cima, nenhuma fazenda de nuvem

nem reforma agrária do vento

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *