Confúcio Moura
Médico, escritor, cronista
educador e apaixonado por Rondônia

Caminhos

Sei que há infinitos caminhos onde possa colocar sentimentos nos trilhos, mas não sei e nem faço ideia qual seja o destino final para cada um deles… Nos mais incontáveis cafés que alguém possa tomar soam histórias, por vezes muito boas, por vezes muito tristes. Tem sempre um caminho para qualquer lugar com uma pequena […]

Painel solto como uma pipa

(Esta crônica é uma mistura de dois tempos. Fiz alguns ajustes. Joguei outras partes fora.  De Ariquemes, 22 de março de 2008 ao dia 27.06.2021) Estamos no período seco. O gramado amarela inteiro. As folhas caem. Saudade das chuvas. Tom Jobim fez poesia e música com as chuvas de março. Um pedacinho dela: “é pau, é […]

As curvas

  Agora sim o dia é outro tão o outro que amanheci A estas horas, ontem, já tínhamos feito 30 voltas no Circuito de Mônaco O seu circuito tem muitas voltas. De longe se enxerga curvas, retas, pontos que a velocidade tem cheiro. Tenho vergonha alheia Chove de dentro de você torrencialmente. Eu me absinto […]

Colapso

Me cai do céu, agora, um lapso Rabisco o papel com lápis Porque o grafite não tem Memória O lapso é tão importante Como o acontecimento feito Maioria das decisões surgem dos lapsos e esquecimentos

Ato (Poesia)

Ser um ser, pode ser um ser Se quiser será Mais até mais que um ser humano Muito diferente de um insignificante Muito mais interessante não ser mal comparado O insignificante, por mais que queira Já tem a inconsciência que é o mais importante

O ato de esperar

O ato de esperar é tão bom o exercício de esperar como se fosse aula de musculação porque cresce em mim, quando espero, um pé de jasmim daí a pouco as orquídeas chegam com elas as coisas mudam e dá até para se ver estrelas cadentes e tudo é tão bonito esperar é bom porque […]

Vó Joaquina

Miúda, compenetrada, era de poucas palavras. Seu olhar impunha respeito e autoridade. Crianças deviam entrar mudas e sair caladas. Falar, só quando fosse lhe dada a vez. Resto de comida no prato, intolerável. Desperdícios, nunca eram permitidos. Tudo se reaproveitava, desde a banana passada do ponto que se transformava em picolés, até vestidos antigos, em […]

Seu Carlos – parteiro à moda antiga

Seu Carlos foi enfermeiro na Vila de Ariquemes. Veio com a leva dos amigos, soldados da borracha, para serviços gerais de saúde. Ficou pelos seringais por anos a fio e depois pegou um emprego federal de “enfermeiro”, quando não se fazia diferença nenhuma entre as categorias. E foi aprendendo com a necessidade de cada dia, […]

Desproporção

Nós queríamos educação de qualidade, mas a solução veio com as armas ! Queríamos uma sociedade mais justa, onde as pessoas não tivessem seus sonhos furtados por quem lhes deveria garantir e efetivar direitos. Olho com muita tristeza, a desproporção entre quem tendo tudo desperdiça. Enquanto uma grande parcela míngua, outra nada na ganância e […]