Confúcio Moura
Médico, escritor, cronista
educador e apaixonado por Rondônia

A cidade (Ariquemes)

A cidade recomeçou. Ela já havia iniciado. Cresceu e diminuiu com os movimentos do dinheiro. Dinheiro faz cidades. Como o ouro. Como a madeira nobre. Como o látex.  A cidade ressurge, agora, pela posse da terra. O sonho da propriedade.  Pedaço de terra faz cidade também.  Ariquemes tem riqueza de sobra.  O Rio Jamari pode […]

A barra

É preciso lançar o desafio e não deixar que o medo de cair te pare. Por vezes, as mãos escorregam do apoio, fazendo com que o chão se torne familiar e ameaçador. É preciso lançar mão do medo e entender a lição da queda. Quando somos postos a perigos, desafiados a ser melhor que ontem, […]

O Rio no Centro do Rio de Janeiro

A Rua da Alfândega está lotada de gente e tem um homem morto na calçada enquanto milhares de vivos seguem em sentidos contrários Porque todo dia a rua tem a mesma fisionomia das multidões Com alegria, chuva ou faça sol, ela tem a mesma cara do Maracanã lotado My God sabe o que faz, por […]

Agosto não pode ser dezembro

Quando o agosto entra no setembro, as flores entram nas flores. O cio da terra exulta, precisa de um tempo para que os frutos amadureçam em dezembro Tudo segue o trivial, janeiro a março as águas de março No parque circuito as seringueiras copadas e verdes, o verde degradado em tantos verdes das roças Segue […]

O lixo e as flores

O título é bom para se mostrar contrastes. Para dizer que o ciclo das coisas não para. Que uma coisa vira outra. Que a vida é passageira. Que o lixo já esteve nas mesas. Que já fez parte dos objetos da casa. Que se desfez. Ressuscita em flores jubilosas. Que os andrajos são humanos andantes […]

Trincheiras,  Besteiras

Este poema é de autoria da minha neta: Isadora Martins Moura. Trincheiras , Besteiras, Ambos protegem, com a casca dura os ataques que são atirados da direção oposta. Seja de cimento, o forte Ou de brincadeira, No final das contas Quem se salva também atira. Recíproco, Lá vem bala! Análise, É tiro ou é doce? Você […]

Caminhos

Sei que há infinitos caminhos onde possa colocar sentimentos nos trilhos, mas não sei e nem faço ideia qual seja o destino final para cada um deles… Nos mais incontáveis cafés que alguém possa tomar soam histórias, por vezes muito boas, por vezes muito tristes. Tem sempre um caminho para qualquer lugar com uma pequena […]

Painel solto como uma pipa

(Esta crônica é uma mistura de dois tempos. Fiz alguns ajustes. Joguei outras partes fora.  De Ariquemes, 22 de março de 2008 ao dia 27.06.2021) Estamos no período seco. O gramado amarela inteiro. As folhas caem. Saudade das chuvas. Tom Jobim fez poesia e música com as chuvas de março. Um pedacinho dela: “é pau, é […]

As curvas

  Agora sim o dia é outro tão o outro que amanheci A estas horas, ontem, já tínhamos feito 30 voltas no Circuito de Mônaco O seu circuito tem muitas voltas. De longe se enxerga curvas, retas, pontos que a velocidade tem cheiro. Tenho vergonha alheia Chove de dentro de você torrencialmente. Eu me absinto […]