Colar pedaços (Domingada)

  1. BRASIL – da minha parte acredito que a melhoria da qualidade da educação seria um bom começo, para o Brasil arrancar. Só  que demora. Se nada fizermos agora, com medo do tempo, ele irá passar do mesmo jeito. E vamos olhar para trás, arrependidos e frustrados;
  2. BRASIL – o maior buraco que teremos que tapar, com toneladas de Durepox, é o da educação. Porque mexe com gente. E no mundo de hoje, quem não tiver conhecimento e qualificação, pode se considerar fora do sistema. Boa educação formará um povo qualificado, capaz de viver aqui ou em qualquer lugar do mundo;
  3. BRASIL – Zé Luiz, que mora hoje em Cacoal, é um camarada bem pé no chão. Ele aprendeu a mexer com tapa-buraco de asfalto e asfaltar rua. Não é engenheiro. Aprendeu fazendo. Curioso. Ele pode ensinar os prefeitos de Rondônia a se “virar”, nestes tempos de vacas magras e buracos demais;
  4. BRASIL – quando fui Prefeito de Ariquemes, e não tinha ninguém pra me ajudar, tive que dar meu jeito para arrumar as ruas antigas e asfaltar as novas. Fui buscar quem sabia trabalhar. O Isaac Bennesby. Já com quase 60 anos, se meteu na rua, sem camisa e sem chapéu, a inventar modelo barato de asfaltar rua. E fez. Eu aprendi. Ele ensinou a equipe e me salvou.
  5. BRASIL – estou com muita vontade de ajudar os prefeitos. Inicialmente os do Vale do Jamari, nove ou dez prefeituras. Criar o primeiro Consórcio de Educação do Vale. Copiando o inovador modelo paranaense. E os dez municípios terem, em nível nacional, um Secretário Regional. Escolhido por merecimento e pago por todos. Ele irá mexer os “pauzinhos” em cada cidade e iniciar a grande virada. Vamos nesta, gente!!!
  6. BRASIL – muita gente fica matutando… Por que o Confúcio está se metendo neste barco furado que é a educação? Educação não dá voto. E nem enche barriga de ninguém. Engana-se meu amigo. Engana-se. Enche barriga sim. Elege sim. Reelege sim. Além do mais, você abre as portas, de todo o mundo, para  suas crianças. Um filho de pobre terá a mesma oportunidade que o do rico.
  7. BRASIL – eu recomendo de verdade. Recomendo mesmo. A todo pequeno agricultor, sitiante, chacareiro, fazendeiro – cada um plantar um pouco de cacau. Até nos quintais das casas. Não desperdiçar nenhum pedaço de terra. Cacau é riqueza demais. A África está fazendo isto. Cuide bem cuidado de dez, cinquenta, cem, mil árvores de cacaueiro. E vá plantando. E vá cuidando. O pessoal da Ceplac está aí com experiência de sobra.
  8. BRASIL – outra boa iniciativa para ganhar dinheiro é plantar AÇAÍ. Pode perguntar o pessoal de Buritis, de Extrema, do Reca, lá em Nova Califórnia. Açaí está no mundo inteiro. E foi entrando sem pedir licença. Toda cidade média do mundo tem uma franquia de açaí. O açaí é mais que o petróleo para o nosso país. Na dúvida converse com o Edgar da SEDAM ou o “Bacana” lá de Fortaleza do Abunã, para pegar uma boa aula sobre o açaí;
  9. BRASIL – cada prefeito de qualquer cidade pequena do Brasil, pode fazer uma imensa diferença para o conjunto da nossa Pátria. E não esperar por Presidente e nem por Ministro.  Criar um programa de AGRICULTURA URBANA, com leis e tudo mais. Aproveitar os terrenos baldios da cidade e oferecer, na forma da lei, para quem desejar trabalhar com viveiros, hortas, flores, artesanato, frutas, cacau, açaí e até com a criação de pequenos animais. Comida é comida, nunca é demais;
  10.  BRASIL – Nenhuma criança pode andar de ônibus escolar por mais de uma hora em estrada ruim. O menino cansa. Fica doído. E é perigoso. Além de pouco aprender. Recomendo aos prefeitos que têm este problema com transporte escolar, a conversarem com a Secretária de Educação de Ji-Paraná. E o certo mesmo, é que cada um deve pegar a experiência do outro. O importante é dar condição à criança de se alfabetizar no tempo certo. Até oito anos, no máximo, todo mundo tem de saber ler, entender e escrever.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *