O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 52

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 52

Enquanto a vacina não vem para todos, abundante e farta, teremos que usar a vacina pelo lado de fora: – A MÁSCARA. Usar máscara para ir ao trabalho, para fazer exercício, para entrar no carro, no ônibus. Usar a máscara para visitar a família, para receber o técnico que veio arrumar o fogão, a Internet, ou desentupir a pia. Se é que não se pode esperar mais um pouco para fazer ou receber a visita.

Não tem vacina sobrando no mercado. Já foi um ato heroico, extraordinário dos pesquisadores e laboratórios colocarem vacinas de qualidade na praça no prazo tão curto de 01 ano. O Brasil vai muito mal. Governo Federal ainda pode se redimir. Voltaire já dizia – só os ignorantes não mudam.

Os velhos ocupam cerca de 75% dos leitos das UTIs. E morrem na mesma proporção pelo coronavírus. As variantes estão metralhando para todos os lados. Jovens estão entrando na linha de tiro. Jovens mesmo, morrendo também pelo “corona”.

A doença passa de um para o outro, pela respiração, pela saliva. O teste de RT-PCR é aquele que pega o vírus no fundo do nariz. Porque ele entra pelas narinas. A máscara é necessária, enquanto as duas doses da vacina não chegam para todos. Será necessário usá-la por anos. Vacinados e não vacinados.

Major Olímpio morreu. O Senador mais bem votado das ultimas eleições. Ele que era tão cuidadoso. Sempre o via com máscaras. Deve ter se contaminado nestes curtos descuidos que a vida nos reserva. Quando menos se espera.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *