Rodovia 364 (trechos urbanos Ariquemes e Itapuã)

Rodovia 364 (trechos urbanos Ariquemes e Itapuã)

A rodovia 364, trecho Mato Grosso e Rondônia, precisa ser duplicada. O movimento de carretas pesadas é intenso, como nunca se viu antes. Pode ser dia útil, fim de semana, ou até feriado, e o movimento é igual. Eu tenho consciência da situação fiscal do nosso país. Pouquíssimo dinheiro para investimento. O que se tem para investir em infraestrutura é quase nada. Mal dá para tapar buraco e consertar pontos críticos.

Não custa falar, não custa dizer o que precisa ser feito. Não se deve, nunca, parar de fazer ofícios e marcar audiências. Porque a força da fala tem muita energia. Dá para se dizer, por analogia, a mesma coisa que JK fez quando Presidente. Abriu a BR 364 e fincou a rodovia no Plano Nacional de Transporte, só no barro e na areia. Rodar por esses mundos da Amazônia, só se sabia o dia da saída. Porque o trecho era estreito, dividido apenas pela faixa de segurança no meio da estrada.

A rodovia é de desenvolvimento, de riqueza. Vai e volta riqueza. Rondônia cresceu muito. A rodovia é de integração nacional. Roraima e países andinos são beneficiados. Ela precisa ser duplicada. Há dois trechos curtos na estrada que dá fazer logo, como o de Ariquemes e o de Itapuã do Oeste. A bancada de Rondônia pode contribuir com recursos de suas emendas parlamentares, para fazer o que deve ser feito.

Além de tudo que falei, há a necessidade do apoio ao crescimento econômico do país. Tirar do papel o projeto da ferrovia transnacional. Ela já foi falada por muito tempo. Ficou esquecida. Deve-se voltar a falar nela. A ferrovia. E lá na frente, outra via necessária, é a hidrovia do Madeira. Aí sim, tudo feito e mantido, a Amazônia será abençoada, e o restante o nosso povo fará. Manaus, Roraima, Acre e Rondônia – darão o suficiente argumento para que todas essas vias de transportes sejam construídas e justificadas.

Os dois trechos urbanos (Ariquemes e Itapuã) são simples. É só uma questão de capricho e prioridade.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *