Confúcio Moura
Médico, escritor, cronista
educador e apaixonado por Rondônia

É pra rir ou pra chorar?

O ministro da educação, aliás, o ex, foi ao Senado para audiência pública mostrar os seus planos de futuro. Entrou. Sentou-se à mesa solene. Eu estava a seu lado. Abriu uma caixa de chocolate. Salão cheio de gente. E foi comendo chocolate. A imprensa pegando tudo. Tirou a gravata. Agoniado. Depois o paletó. Recostou-se na cadeira, olhou para o teto. Arregaçou a manga da camisa. Traçou seu plano infalível. Não houve vaias, mas sussurros.

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 11

Este deveria ser o primeiro capítulo desta série. Fui amontoando ideias e terminei deixando a minha rotina para depois. A pandemia trouxe o único trunfo disponível para impedir a sua propagação avassaladora: – o isolamento social. Eu fiquei em isolamento desde março. Não foi um isolamento completo. Porque peguei mais um compromisso extra que foi o de presidir uma comissão do Congresso – que cuida da calamidade e suas consequências dentro do orçamento e do ajuste fiscal.

FUNDEB

O novo Fundeb é uma necessidade para se financiar a educação básica brasileira. O atual Fundeb vence em 31 de dezembro deste ano. Caso não seja aprovado, ficará um vazio. Um vazio existencial no ensino básico. Caracterizado pela falta de dinheiro, falta de dinheiro pra pagar professores, pagar o transporte escolar, a merenda, o livro didático, enfim, todas as atividades da educação.  As reformas escolares, as ampliações e as construções.