Confúcio Moura
Médico, escritor, cronista
educador e apaixonado por Rondônia

O nó cego na educação no Brasil

Somos o último país do mundo a abrir as escolas. E ainda não abrimos. E quando forem abertas, ainda não se sabe como será o recomeço. Esse negócio de aula remota até dá para ir engabelando os meninos. Porque, pra gente grande, o ensino a distância só tem bom proveito para alunos extraordinários e devotos. […]

Revivência

Tenho gosto imenso por Porto Velho. Não o gosto paladar, mas, de amar a cidade, como algo de carne e osso. Coisa falante. De sete a nove de julho de vinte 21, fiquei por lá, em confidências políticas e reencontros. Para dizer mais de passado que futuro. Acordei nesses dias às 4h30. Queria seguir as trilhas […]

Desmascarados

Sempre achei que se deve falar, e se possível, falar bem alto. Dizer o que se pretende fazer. Falar de utopias e de sonhos. Isto serve para todos. Se ficar com o pensamento travado, o universo não lhe reconhece como um ser existente. Quando fui candidato a governador em 2010, Jandir (Vilhena) me provocou. – […]

A pandemia não conserta pau torto

A pandemia não irá mudar nada. Quem era bom continuará bom. Quem era ruim ficará ainda pior. Nem pense que depois da pandemia virá “o novo normal”. Porque não há novo normal. Haverá sim o reencontro aos velhos hábitos. Você acha, meu amigo, que a educação irá emergir das cinzas e subir aos céus? Assim, […]

O admirável mundo dos espertos

Quero iniciar o meu post de hoje com esta frase que ouvi de um amigo, na caminhada de hoje: “ninguém governa sobre cadáveres”. Fiquei com essa frase na cabeça me atormentando. E resolvi acrescentar mais uma “subfrase” de minha autoria: “ninguém governa com levas de famintos”. E estamos vendo o Brasil, que vai se guiando […]

Aprender a ouvir

Por isto que acho, aqui como leigo, que a meditação deve ser uma prática importantíssima. Para amansar o cérebro, aquietá-lo e depois incorporar à vida como hábito. Acredito que o homem pode se transformar num verdadeiro ser humano. Um ser humano que se junta à natureza das coisas. Que aprende a ser tolerante. E saber […]

Corona tem veneno demais

Desde o ano passado, que a tudo se culpa a pandemia. De certo, é ela mesma que veio remexer o caldeirão de feijão. De um lado ficou o cru. Do outro lado, o queimado. Subiu um cheiro ruim. As escavadeiras fazem o trabalho, como outro qualquer. Rastela chão. Abre valas. O assunto piorou. Uma chuva […]